Tecnologia israelense foi usada de forma ilegal para monitorar celulares de políticos, policiais, jornalistas e juízes.