Enquanto alguns internautas apontam que a ideia busca inclusão, outros argumentam que ela pode ser considerada discriminatória