2º posto mais importante da pasta começou a ser ocupado por militares ainda no mandato de Dilma.